Downhill de Coroico – Descida de bike na Estrada da Morte (La Paz – Bolívia)

Quando eu decidi ir para Bolívia, a primeira coisa que me passou pela cabeça foi: Vou fazer o Downhill de Coroico (Descida de bike na “Estrada da Morte”).

O nome oficial da estrada é Camino a Los Yungas, mas é mundialmente conhecida como “Estrada da Morte”. E ela faz jus ao apelido: Até algum tempo atrás, de 200 a 300 pessoas morriam todos os anos em acidentes com carros e ônibus na estrada, que tem apenas 64 km de extensão. Depois que foi construída uma via alternativa para os veículos, em 2007, esse número diminuiu, porém acontecem acidentes fatais até hoje.

Curiosamente, após ser considerada na década de 1990 a “estrada mais perigosa do mundo” pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento, a via se transformou em atração turística. Todo ano, milhares de pessoas percorrem o caminho de bicicleta.

E lá fui eu… percorrer os seus perigosos 64 Km…

Ruta de La Muerta / Death Road

A descida começa a 4.700 m de altitude, em La Cumbre, que fica mais ou menos a uma hora de carro de La Paz, e desce aproximadamente 3.500 m, ao longo de 64 km.
Só o caminho que a van faz de La Paz até o topo da montanha já vale o passeio, a paisagem é simplesmente incrível.

A van me pegou no hostel as 08:00 em ponto, e seguimos por quase uma hora e meia até o topo da montanha. Lá o guia nos entregou as bikes, os equipamentos, passou algumas instruções de segurança e então começamos nossa descida.

A primeira parte da descida é asfaltada, mas por incrível que pareça foi a pior parte pra mim, porque estava um frio desgramado e caia uma chuva fina e muito gelada. A temperatura estava na casa dos -5ºC.

002
No topo na montanha, com um lago no fundo. Muito frio, mas muita empolgação para iniciar a descida.
003
Começando a descida… Com os dedos doendo de tanto frio.
Uma paradinha para apreciar a paisagem
Uma paradinha para apreciar a paisagem
Finalmente a chuva gelada deu uma trégua
Finalmente a chuva gelada deu uma trégua

Depois de mais ou menos uma hora no asfalto, fizemos uma parada para o café da manhã. Muito simples, mas bem gostoso, e um café quente foi ótimo pra espantar o frio. Logo iriamos iniciar a descida pela estrada de terra.

Um fato curioso é que você precisa se manter à esquerda na estrada, ou seja, do lado de precipícios que chegam medir mais de 600 m de altura, isso numa estrada de terra estreita, com média de 3 metros de largura.

Conserve su izquierda, ou seja, fique do lado do precipício amiguinho.
Conserve su izquierda, ou seja, fique do lado do precipício amiguinho.
Não é brincadeira não. Existem registros da morte de aproximadamente 20 ciclistas na estrada da morte (sem contar os acidentes locais, de carros, ônibus, caminhões etc).
Mas se você manter o foco, for concentrado e não querer bancar o Indiana Jones da bicicleta, a descida é bem tranquila.
Ultimo momento de reflexão...
Ultimo momento de reflexão…
E que comece a aventura
E que comece a aventura
Essa é a parte mais perigosa, porém é também a mais divertida.
É preciso muito equilíbrio, pedalar entre pedregulhos não é fácil. É preciso manter o foco na estrada e esquecer que existem abismos alguns centímetros ao seu lado.
Se você for muito rápido, pode cair, se for com muito medo, pode cair. E se você cair…
Bom.. Melhor não cair né!
As paisagens são realmente incríveis:
011
Sim é alto pra caramba meu caro… Nem se atreva a cair ai…

012013014015016017020

Depois de algumas horas de descida, a paisagem e clima mudam completamente. O clima é mais tropical, a vegetação é mais densa, com algumas cachoeiras pelo caminho.

Não é raro cruzar uma van, um caminhão, ou até mesmo uma carreta pelo caminho. Outra coisa bem comum são as cruzes pelo caminho, indicando lugares onde pessoas morreram.

021

022
espera ai que tá vindo um caminhão…

023024025026

Nesse vídeo dá pra ter uma ideia de como a estrada é estreita:
Depois de aproximadamente 3 ou 4 horas de descida, estava quase chegando ao fim nossa jornada pela estrada da morte. O clima já está bem quente (chega fazer um pouco de calor).
027
028
Nossa ultima parada…

No final, você esquece todo frio que passou no começo da descida e a sensação é muito boa. Eu achei a descida bem tranquila, e foi sem sombra de duvidas o passeio mais legal que fiz em La Paz.

E aqui termina nossa aventura.
E aqui termina nossa aventura.

O passeio termina na pequena vila de Yolosa, que tem um clima subtropical (com altitude de: 1.800 m). Depois embarcamos na van e seguimos para cidade vizinha de Coroico, onde almoçamos num buffet de comidas tipicas, com direito a merecida ducha e uma piscina pra relaxar um pouco.

As 16:30 embarcamos de volta para La Paz, numa viagem de umas 02:30 mais ou menos. O caminho de volta é um pouco mais longo, mas a paisagem compensa.

Informações:
Em La Paz você vai encontrar diversas agencias de turismo que fazem esse passeio, com os mais diversos preços.
Eu não tinha tempo para procurar, pois cheguei em La Paz a noite e só tinha o dia seguinte para fazer o Downhill, por isso eu fechei no próprio hostel. Eu estava no Pirwa hostel. Mas se tiver tempo, procure e pechinche o preço, mas não abra mão de sua segurança, escolha uma agencia conceituada com equipamentos de qualidade e especialmente que tenha bicicletas com suspensão dianteira e bons freios.

E um conselho: Se for pra Bolívia, não deixe de fazer o Downhill !!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s